PMG – Entenda isto

Será que existe alguma forma de aproveitar os benefícios do preço fechado/global sem arcar com os impactos tributários? A partir desta questão que se criou a modalidade de “Preço Máximo Garantido” que é conceito de contrato híbrido entre o preço fechado e a construção por administração.

No Preço Máximo Garantido (PMG), a construtora elabora um orçamento aberto com uma taxa de remuneração e apresenta ao empreendedor. Se ele concordar, eles assinam o contrato com duas condições principais: se a obra custar mais barato, eles dividem o resultado da economia, se a obra ficar mais cara, a construtora assume o prejuízo.

1º exemplo de obra – Cenário tradicional

Contrato no valor de R$ 100.000 (cem mil reais), suponhamos que o “Preço Máximo Garantido” seja estabelecido em R$ 100.000. Se a obra custar mais do que isso, o cliente paga somente este valor, se a obra custar menos, eles dividem a economia em 50%. O cenário base é o do gráfico abaixo:

2º exemplo – Construtora arca com eventual despesa e custo

O que aconteceria se a construtora contratasse mal seus fornecedores de forma a estourar seu orçamento de materiais, mão de obra e equipamentos em R$ 5.000 (R$ 3.000 de mão de obra e R$ 2.000 de materiais + equipamentos)? Neste caso, ela teria que utilizar sua própria margem para absorver o estouro de custos e garantir o preço máximo de R$ 100.000 para o cliente:

3º exemplo – Construtora e Cliente compartilham a Economia

Por outro lado, se a situação for favorável e a construtora economizar R$ 7.000 na obra (sendo R$ 4.000 na mão de obra e R$ 3.000 em materiais + equipamentos), ela receberia 50% dessa economia, elevando sua remuneração de R$ 20.000 para R$ 23.500. Os outros R$ 3.500 se transformariam em desconto no preço final para o cliente, o qual pagaria R$ 96.500,00